AMADORA BD 2015 – VENCEDORES DOS PRÉMIOS NACIONAIS DE BANDA DESENHADA (PNBD)

AMADORA BD CABEÇALHO

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum Português

Zombie, de Marco Mendes (Turbina/Mundo Fantasma)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Argumento para Álbum Português

Volta – O Segredo do Vale das Sombras, de André Oliveira (Polvo)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Desenho para Álbum Português

 Erzsébetde Nunsky (Chili com Carne)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum de Autor Português em Língua Estrangeira

Crumbs, de Afonso Ferreira, Ana Matias, André Caetano, André Oliveira, André Pereira, Bernardo Majer, David Soares, Fernando Dordio, Francisco Sousa Lobo, Inês Galo, Joana Afonso, Mário Freitas, Nuno Duarte, Osvaldo Medina, Pedro Cruz, Pedro Serpa, Ricardo Venâncio, Sérgio Marques, Zé Burnay (Kingpin Books)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum Estrangeiro de Autor Português

Loki – Agent of Asgard, de Jorge Coelho (Marvel)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum de Autor Estrangeiro

Papá em África, de Anton Kannemeyer (MMMNNNRRRG)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum de Tiras Humorísticas

Toda a Mafalda, de Quino (Verbo)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Ilustração de Livro Infantil (Autor Português)

 Daqui Ninguém Passa!, de Bernardo P. Carvalho (Planeta Tangerina)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Ilustração de Livro Infantil (Autor Estrangeiro)

O Tempo do Gigante, de Manuel Marsol (Orfeu Negro)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Prémio Clássicos da 9.ª Arte

O Diário do Meu Pai, de Jiro Taniguchi (Levoir/Público)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Fanzine

Terrea, de Ricardo Cabral (Edição de Autor)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Troféu de Honra

Pedro Massano

O júri que escolheu os álbuns e os autores vencedores foi constituído por Nelson Dona, director do Amadora BD, Pedro Massano, autor de BD, Bruno Caetano, coleccionador, Luís Salvado e Sara Figueiredo Costa, jornalistas e comissários da exposição do Ano Editorial.

O Troféu de Honra é uma deliberação da Câmara Municipal da Amadora que, anualmente, atribui este prémio a uma personalidade de reconhecido mérito na área da Banda Desenhada portuguesa.

A cerimónia de entrega dos prémios teve lugar em 31 de Outubro, nos Recreios da Amadora, e contou com a actuação musical de noiserv.

Até 8 de Novembro, tanto os álbuns vencedores (na exposição do Ano Editorial Português), como a grande exposição de Pedro Massano, A Batalha: 14 de Agosto de 1385 (Prémio de Melhor Desenho 2014), podem ser vistos no Fórum Luís de Camões.

O Amadora BD – Festival Internacional de Banda Desenhada é organizado pela Câmara Municipal da Amadora e constitui o mais importante evento na área da Banda Desenhada, a nível nacional. É também uma importante referência a nível internacional, reconhecido como um dos maiores, melhores e mais diversificados eventos de BD, integrando o calendário internacional de eventos, como o Festival International de la Bande Dessinée d’Angoulême (França), o Lucca Comics (Itália), o Festival Internacional del Cómic de Barcelona (Espanha), New York Comic Fest (EUA) e o San Diego Comic Convention (EUA).

 

AMADORA BD 2014 – 5

Untitled-1IMG_2170

Como já noticiámos, o Troféu de Honra — o mais importante e antigo galardão do Festival Internacional da Amadora, atribuído a uma personalidade com especial relevo na BD portuguesa — distinguiu outro autor veterano, Carlos Baptista Mendes, cuja obra tem sido quase exclusivamente dedicada a temas da História de Portugal.

Batista Mendes silva porto159Quero aqui deixar uma nota de amizade, respeito e admiração pelo Carlos, que conheço há muitos anos, desde a nossa juventude passada em comum nas salas de aula e nos ginásios do Liceu Gil Vicente, em Lisboa, onde já ambos manifestávamos a nossa predilecção pelas histórias aos quadradinhos, ele desenhando, eu escre- vendo para os “jornais de parede” e outras publicações artesanais, feitas por processos rudimentares, como o copiógrafo (de que hoje já ninguém ouve falar).

Mais tarde, depois de muitas reviravoltas da vida, reencontrámo-nos na Agência Portu- guesa de Revistas (APR), onde eu me tornei coordenador do Mundo de Aventuras, a partir de Maio de 1974, e ele já figurava no quadro de desenhadores, incumbido de ilustrar alguns títulos das colecções de livros de bolso românticas e de cowboys que a APR, na altura, ainda publicava.

Claro que esse foi o pretexto e o estímulo (a par da nossa amizade de longa data) para que Baptista Mendes se juntasse ao projecto de renovação do Mundo de Aventuras, tornando-se, durante algum tempo, um dos seus mais proeminentes colaboradores, a quem se devem muitas ilustrações e HQ’s publicadas nesse período.

Batista Mendes lenda de gaia160Foi com ele que fiz “A Lenda de Gaia”, a minha primeira história de BD, apresentada no MA nº 143, de 24 de Junho de 1976, com honras de capa (e reeditada, anos depois, no Jornal do Exército e nos Cadernos Sobreda BD).

Em 1983, o seu talento artístico ressurgiu na colecção Antologia da BD Portuguesa, da Editorial Futura, com o álbum intitulado “Por Mares Nunca Dantes Navegados”, onde foram compilados alguns episódios curtos sobre a epopeia dos Descobrimentos, ilustrando a sua aptidão para os temas históricos e biográficos, género que, como já referimos, cultivou longamente, desde o início da sua carreira, nas páginas de várias revistas e suplementos juvenis: Camarada, Falcão, Cavaleiro Andante, Pardal, Pim-Pam-Pum, Mundo de Aventuras, e sobretudo no Jornal do Exército e na Revista da Armada.

Infante D. Henrique (B. Mendes)Nos anos seguintes, para as editoras Asa e Âncora, realizou outros álbuns de BD, com trabalhos inéditos, continuando a exercer na vida privada as funções de chefe do gabinete de desenho de uma importante empresa industrial.

A sua obra mais recente, dedicada ao tema “Portugueses na Grande Guerra (1914-1918)”, surgiu nos escaparates em finais de Outubro, com o selo da Arcádia, editora que parece novamente apostada em afirmar-se no mercado, competindo directamente com a Asa. Foi este trabalho, com vários episódios respigados do Jornal do Exército e algum material inédito, que o Amadora BD escolheu para expor este ano na Galeria dos Paços do Concelho (ou Galeria Municipal Artur Bual), homenageando também Carlos Baptista Mendes com a atribuição do Troféu de Honra, prémio de mérito pelos seus 55 anos de carreira.

Batista Mendes grande guerra161Posso afirmar categoricamente que o trabalho do Carlos sempre se pautou pelo rigor e pelo brio profissional. Nunca cedeu à facilidade, abordando com ligeireza os temas que pretendia ilustrar; pelo contrario, antes de “passar à acção” documentava-se exaustivamente, com o intuito de ser minucioso no desenho e na explanação dos factos históricos, mesmo em episódios curtos, geral- mente de duas páginas (em que também adaptou textos e traçou biografias de vários escritores portugueses, a merecer igualmente uma recolha em álbum).

No tocante aos prazos, por vezes forçosamente curtos, era o campeão da pontualidade. Gabava-se, aliás, da sua rapidez de execução, pois num fim de semana era capaz de realizar 6 a 12 ilustrações para os livrinhos de bolso da APR. E sem esforço, nem perda de qualidade!

IMG_2056Para ti, velho camarada, um abraço muito afectuoso deste companheiro nalgumas encruzilhadas da BD e da vida. Em recordação dos bons velhos tempos!…

Nota: as fotos que ilustram este post são da autoria de Dâmaso Afonso. Seguidamente, apresentamos uma breve reportagem da exposição de Baptista Mendes na Galeria Municipal Artur Bual, inaugurada em 24 de Outubro, com a presença de Nelson Dona, director do Festival, António Moreira, vereador da Cultura na Câmara Municipal da Amadora, e de vários autores de BD, colegas do homenageado.

IMG_2055IMG_2057IMG_2059IMG_2061IMG_2062IMG_2068

AMADORA BD 2014 – 3

Vencedores dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada

A Batalha 14 Agosto 1385

Em sessão que decorreu no passado sábado, 1 de Novembro, no espaçoso salão dos Recreios da Amadora, foram divulgados os vencedores dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada 2014. O de maior relevo, até pela sua longevidade — o Troféu de Honra —, coube este ano a Carlos Baptista Mendes, desenhador com mais de 50 anos de carreira, que acaba de publicar o álbum Portugueses na Grande Guerra (Arcádia), cujas pranchas estão em exposição na Galeria dos Paços do Concelho.

Registamos também que a editora que mais se distinguiu, arrecadando três prémios, foi a Kingpin Books. Nas editoras tradicionais, é de assinalar a presença da Bertrand e da Gradiva entre os vencedores, com duas obras maiores (um clássico e um futuro clássico). O melhor álbum de autores portugueses é uma obra colectiva, caso pouco comum neste tipo de certames — e que deixa uma pergunta no ar: qual desses autores se encarregará de realizar a ilustração para o cartaz do próximo Festival da Amadora? Ou teremos, pela primeira vez, um cartaz produzido não por um, mas por vários autores?

Melhor Álbum Português:

Zona de Desconforto, de Amanda Baeza, André Coelho, Cristina Casnellie, Daniel Lopes, David Campos, Francisco Sousa Lobo, José Smith Vargas, Júlia Tovar, Ondina Pires e Tiago Baptista (Chili com Carne)

Melhor Argumento para Álbum Português:

André Oliveira, Hawk (Kingpin Books)

Melhor Desenho para Álbum Português:

Pedro Massano, A Batalha 14 de Agosto de 1385 (Gradiva)

Zona de desconforto+Safe Place

Melhor Álbum de Autor Português em Língua Estrangeira:

Safe Place, de André Pereira e Paula Almeida (Kingpin Books)

Melhor Álbum de Autor Estrangeiro:

As Serpentes de Água, de Tony Sandoval (Kingpin Books)

Melhor Álbum de Tiras Humorísticas:

No Presépio, de Álvaro e José Pinto Carneiro (Insónia/Álvaro Santos)

Melhor Ilustração de Livro Infantil:

Vera Tavares, Lôá Perdida no Paraíso (Tinta da China)

Hawk+ No presépioSerpentes de água+Maus

Clássicos da 9ª Arte:

Maus, de Art Spiegelman (Bertrand Editora)

Melhor Fanzine:

Espaço Marginal, de Marco Silva (Instituto Politécnico de Beja)

Espaço Marginal

O júri dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada foi constituído por Nelson Dona, director do Amadora BD (e em representação da Presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares), Joana Afonso, autora de BD, Luís Salvado, jornalista e especialista bedéfilo (e comissário da exposição central), António Dâmaso Afonso, colecionador de BD, e Sara Figueiredo Costa, comissária da exposição central.

Até dia 9 de Novembro, os álbuns vencedores estão expostos no Amadora BD, no Fórum Luís de Camões, área dedicada ao Ano Editorial Português (piso inferior), e a exposição de homenagem a Carlos Baptista Mendes, “Portugueses na Grande Guerra”, pode ser vista na Galeria dos Paços do Concelho, na Câmara Municipal da Amadora.