O NOSSO “IRMÃO” MAIS NOVO

Tenho o grande prazer de anunciar, finalmente, o aparecimento na Loja de Papel do meu “irmão” mais novo, O Gato Alfarrabista Júnior, cujos primeiros posts podem visitar clicando aquiEstejam, pois, atentos ao Júnior, que promete seguir os alvitres do “mano” mais velho…. para aprender a “gatinhar” sozinho.

Quando chegar ao Gato Alfarrabista Júnior, se clicar na palavra Início, na barra preta debaixo do cabeçalho, para activar o side bar, aparecerá o último post publicado e bastará recuar para ver os outros.

NO NOSSO 5º ANIVERSÁRIO

Pois é, caros amigos: crescemos tanto em cinco anos que, ultimamente, já nem cabemos neste blogue. Isto é, o espaço torna-se cada vez mais curto… obrigando-nos a optar por soluções que certamente serão também do vosso agrado.

Uma delas é a criação, que já há tempos foi prevista, de um novo blogue que se chamará O Gato Alfarrabista Júnior e cuja estreia tem sido atrasada por problemas informáticos que ainda não conseguimos totalmente resolver. Mas esperamos (e desejamos) que não demore muito…

Tranquilizem-se todos os leitores e amigos que nos acompanham há cinco anos (completados hoje), porque o nascimento de um “irmão mais novo” d’O Gato Alfarrabista não significa que este blogue irá desaparecer.

A ideia foi, única e simplesmente, arranjar espaço, visto que algumas das nossas rubricas e categorias mais antigas passarão para O Gato Alfarrabista Júnior, cujo programa incluirá também outros temas, colateralmente relacionados com a BD, como separatas, construções de armar e colecções de cromos.

Entretanto, nós, como “primogénitos” que nos orgulhamos de uma carreira bem sucedida, com mais de 160.000 visualizações — um aumento de 200%,  em dois anos —,  prosseguiremos paulatinamente o nosso caminho. E, com menos problemas de espaço, poderemos até renovar-nos, continuando fiéis aos nossos princípios fundadores, como blogue de banda desenhada, sem nos dispersarmos demasiado.

Estejam, pois, atentos ao Gato Alfarrabista Júnior, que um dia destes fará a sua aparição, com a promessa de seguir as pisadas e os alvitres do “mano” mais velho.