“COWBOYS” E VAMPIROS NOS COLÓQUIOS DO CLUBE PORTUGUÊS DE BANDA DESENHADA

CPBD entrada

Como o nosso título parece sugerir, este deve ter sido um dos encontros mais estranhos promovidos pelo Clube Português de Banda Desenhada, apesar de não ter decorrido numa sexta-feira 13, nem ter aberto a caça aos bandidos no Far-West americano.

Mas do título à realidade vai um grande salto, porque a magna reunião do CPBD realizada no passado sábado, dia 11 de Junho, não teve nada de insólito, antes pelo contrário… Foi até bem animada e divertida, com a presença do desenhador argentino Juan Cavia e do argumentista Filipe Melo, os dois autores convidados para o primeiro colóquio deste encontro, que apresentaram a sua nova obra “Os Vampiros”, uma novela gráfica cujo tema confirma o talento desta dinâmica dupla, já com honrosa projecção internacional.

As apresentações da praxe foram feitas por Pedro Mota, presidente da direcção do Clube Português de Banda Desenhada (CPBD).

IMG_2694

IMG_2696

IMG_2701

IMG_2702

IMG_2703

IMG_2704

IMG_2705

No segundo colóquio, que começou cerca de uma hora depois, o tema em debate foi o célebre personagem do western italiano Tex Willer, cuja crescente popularidade em Portugal deu origem à criação de um Clube que ostenta o seu nome, edita uma revista semestral e realiza anualmente, em Anadia (região da Bairrada), uma Mostra de BD que já vai na 3ª edição e tem contado sempre com a presença de ilustres autores italianos da editora Bonneli, a “fonte” de onde brotam todas as aventuras de Tex.

Esse animado colóquio — que durou cerca de duas horas, assinalando a primeira e frutuosa colaboração entre o CPBD e o novel Clube Tex Portugal — foi orientado por três grandes fãs texianos, fundadores e membros da direcção do referido Clube: José Carlos Francisco (ao centro), Mário João Marques (à sua esquerda) e Carlos Moreira.

Para todos os presentes, foi um prazer ouvi-los dissertar sobre as suas vivências como leitores e admiradores fanáticos de uma série de culto, cujas idiossincrasias os marcaram profundamente, abrindo-lhes as portas de um vasto e fascinante universo, criado em 1948 por dois “gigantes” da BD italiana: Gian Luigi Bonelli e Aurelio Galleppini.

Como vêem, pelo que aqui ficou descrito, cowboys e “vampiros” conseguiram coexistir em colóquios separados, mas que mantiveram sempre vivo o interesse da assistência.

IMG_2709

IMG_2710

IMG_2711

IMG_2716

IMG_2717

IMG_2719

IMG_2722

IMG_2723

IMG_2707

IMG_2706

(Nota: as fotos que ilustram esta reportagem são da autoria de outro membro do CPBD e nosso amigo de longa data, Dâmaso Afonso, a quem agradecemos a sempre pronta e valiosa colaboração).

ECOS DO 3º CONVÍVIO DO CLUBE TEX PORTUGAL

No passado dia 5 do corrente mês de Novembro, realizou-se (como oportunamente anunciámos) mais um Convívio do Clube Tex Portugal, num ambiente festivo que teve como cenário o Restaurante Regiões, sito naquela que já é denominada Cacém-City, em honra do maior herói da BD western a nível europeu e mundial.

Com a animada presença de algumas dezenas de sócios, que deram largas ao seu espírito de sã amizade e ao seu regozijo por terem finalmente nas mãos o terceiro número da magnífica revista editada pelo Clube Tex Portugal, o evento serviu também para apresentar aos texianos portugueses o consagrado desenhador italiano Luca Vannini — autor das duas capas originais desta revista —, que veio pela primeira vez ao nosso país para prestigiar com a sua presença (e de sua esposa), e com o testemunho da sua arte admirável, mais um caloroso convívio organizado pelo Clube Tex Portugal.

9 - Rui-Cunha-Luca-Vannini-Francesca-e-as-revistas-nº-3-do-Clube-Tex-Portugal

Com a devida vénia ao Tex Willer Blog e a José (Zeca) Carlos Francisco, dedicado Presidente da Direcção do Clube (que coordena também, com a cúmplice assistência de Mário João Marques, o referido blogue e a revista), apresentamos algumas imagens que dão bem a ideia da animação, do entusiasmo, da camaradagem, do fervor lúdico e artístico, da comunhão entre fãs, dos mais pequenos aos mais graúdos, e também do saudável apetite!… — pois este jantar, bem servido e bem regado, como manda a tradição, tinha como acepipes um original bolo texiano de aniversário e um suculento bife com uma montanha de batatas fritas —, que foram apanágio de mais um grande evento promovido por um Clube de jovens tradições que tem fortes motivos para se orgulhar do renome que já granjeou tanto em Portugal como no estrangeiro.

Os nossos leitores texianos (e não só) poderão ver a reportagem completa, recheada de belas fotografias, deste memorável convívio, acedendo ao Tex Willer Blog em: http://texwillerblog.com/wordpress/?p=63620

2- Família-Texiana-compareceu-em-peso-ao-lançamento-da-revista-do-Clube

4 - A-direcção-do-Clube-Tex-Portugal-com-o-desenhador-Luca-Vannini

- 13 Um brinde a Tex

16-Luca-Vannini-e-o-autógrafo-para-Orlando-Santos-Silva

17-Luca-Vannini-e-o-autógrafo-na-capa-da-revista-do-Clube-Tex-Portugal

23 Luca-Vannini-el-Tex

Assistência-apreciando-a-arte-Texiana-de-Luca-Vannini 24

Ana-Beatriz-e-o-seu-tesouro-TEXiano 25

As-revistas-do-Clube-e-o-bolo-TEX

 

MAIS UM NÚMERO DA REVISTA DO CLUBE TEX PORTUGAL DISTRIBUÍDO AOS SEUS SÓCIOS

Clube Tex Portugal - revista nº 2

Já foi distribuída aos sócios a revista do Clube Tex Portugal na sua 2ª edição, que revela um acentuado progresso, mantendo o mesmo aliciante aspecto gráfico e apresentando-se agora com mais páginas (de 32 passou a 48) e com um “suculento” sumário, em que se destaca a homenagem aos 30 anos de carreira do consagrado autor Fabio Civitelli, dedicados quase inteiramente ao maior personagem da BD italiana e do western europeu: Tex Willer, o famoso ranger do Texas.

Clube Tex Portugal (emblema)Tema de um excelente prólogo e de uma exaustiva bibliografia crítica, trabalho assinado por Mário João Marques, que abrange doze páginas deste número, Civitelli já esteve presente em cinco festivais realizados em diferentes cidades portugueses (entre 2007 e 2012), e a sua simplicidade, bom-humor e simpatia ficaram na memória dos inúmeros admiradores que acorreram a esses eventos. Mas, a par da simpatia, Civitelli também é apreciado pelo seu enorme talento, pela perfeição estética e a inovação técnica, bem patentes no estilo elegante, dinâmico e meticuloso até aos mínimos detalhes, com que recria as figuras de Tex e dos seus pards e os míticos cenários do Oeste americano.Civitelli com as duas capas

Convidado a colaborar na revista do Clube Tex Portugal, com documentação referente à sua longa e prestigiosa carreira, Civitelli chegou mesmo a enviar duas ilustrações inéditas para a capa, ambas tão sugestivas que a direcção da revista não hesitou em aproveitá-las para a edição normal e para uma edição alternativa (esta com a capa impressa num fundo preto e branco), que está também à disposição dos sócios do Clube, podendo estes ficar gratuitamente com uma delas, pagando 10 euros pela outra.

Editorial revista nº 2Do variado sumário deste número, destacam-se ainda os artigos de um numeroso e valioso grupo de colaboradores (que tende, aliás, a aumentar): Júlio Schneider, Pedro Cleto, Sérgio Sousa, Carlos Gonçalves, Rui Cunha, António Lança-Guerreiro, Jorge Machado-Dias, Jorge Magalhães, José Carlos Francisco, além de dois “estreantes” italianos: Moreno Burattini e Italo Marucci. Mas talvez a parte mais “sumarenta”, a par das excelentes ilustrações de Fabio Civitelli, sejam os trabalhos inéditos de outros três notáveis artistas italianos: Corrado Mastantuono, Lúcio Filippucci e Andrea Venturi (autor, recorde-se, da capa do 1º número), que acederam também prontamente ao convite para participar nesta edição.

Tex por Corrado MastantuonoInfelizmente, no artigo dedicado a mestre Vítor Péon, o nosso autor de BD que criou mais westerns, com verdadeira paixão pelo género, algumas imagens — páginas completas, com a profusão de detalhes, a variedade de planos e a acção cinética que caracterizam o seu estilo — foram demasiado reduzidas. Geralmente, na maioria dos blogues podemos, com um toque do “rato”, ampliar as imagens, o que é impossível numa revista impressa. Só com uma lupa… Esperemos que erros como esse sejam corrigidos nos próximos números.

Pelos ecos já chegados à redacção, esta revista — cuja periodicidade deu também um grande salto, passando de anual a semestral — continua a fazer, com êxito, o seu percurso entre a comunidade de sócios do Clube Tex Portugal espalhada pelo mundo, mas também junto de muitos autores texianos e da própria SBE (Sergio Bonelli Editore), e tem sido um dos principais factores de divulgação, não só do nome e dos projectos do Clube, como do devotado afecto que os leitores portugueses nutrem, ainda hoje, pelo carismático herói do Oeste americano criado em 1948 por Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini.

Francesco Micoli com a revista do Clube Tex Portugal

Parabéns ao Clube Tex Portugal pelo seu dinamismo e por esta magnífica revista, dirigida por Mário João Marques e coordenada por José Carlos Francisco.

(Nota: as imagens que ilustram este texto foram extraídas, com a devida vénia, do Tex Willer Blog, cuja consulta recomendamos a todos os que quiserem aderir ao Clube Tex Portugal, pagando apenas uma jóia de 5 euros e uma quota mensal de 2 euros).    

CLUBE TEX PORTUGAL JÁ TEM A SUA REVISTA!

Convívio do Cacém - 1

Já lá vão duas semanas, mas parece que foi ontem!… Conforme largamente divulgado no Tex Willer Blog, realizou-se em 29 de Novembro p.p. o 2º Convívio do Clube Tex Portugal e o cenário eleito para esse evento, que reuniu dezenas de sócios e seus familiares, foi, mais uma vez, o espaçoso e concorrido restaurante Regiões, sito naquela que já é denominada por muitos pards, membros e simpatizantes do Clube, como Cacém City.

O Gato Alfarrabista também se fez representar nesse caloroso (e ruidoso) Convívio, com a sala a abarrotar de gente — nas noites de sábado o restaurante está sempre à cunha — e música de fundo a ressoar-nos nos tímpanos durante horas e horas… o que proporcionou muitos momentos de alegria e de animado bailarico, sobretudo a um grupinho de moças do nosso clã, que se destacou pelo seu contagiante entusiasmo.

Convívio do Cacém - 2

Mas o momento mais alto — à parte o efusivo ritual, celebrado com as honras devidas, de partilhar e saborear o artístico bolo comemorativo deste Convívio, com uma imagem de Tex, como é da praxe —, foi, sem dúvida, a apresentação pelos directores do Clube, José Carlos Francisco, Mário João Marques e Carlos Moreira, do número de estreia da sua revista, que todos os sócios presentes fizeram questão de comentar e elogiar, considerando-a uma das mais belas surpresas com que foram brindados nesta quadra natalícia. E até os mais novinhos ficaram satisfeitíssimos por a receber!…

Convívio do Cacém -3Convívio do Cacém - 4Convívio do Cacém - 5

Pela nossa parte, queremos desde já sublinhar o seu excelente aspecto gráfico, com uma capa de belo efeito da autoria do grande artista texiano Andrea Venturi — capa essa que serviu de mote à requintada arte culinária do mestre(a) confeiteiro(a) que confeccionou o recheio e a cobertura do magnífico bolo de aniversário, rapidamente tragado por mais de 50 gulosos convivas! E é muito bem capaz de não ter chegado para todos!…

Convívio do Cacém - 7

Com colaboração variada, nas suas luzidas 32 páginas, onde a cor é uma nota dominante, este 1º número destaca-se ainda por apresentar outras ilustrações inéditas de grandes artistas da Velha Bota, como Maurizio Dotti e Stefano Biglia, e por ter sido quase inteiramente realizado por sócios do Clube, portugueses, italianos e brasileiros.

Se quisesse dar-me ao cuidado de recomendar o que mais me agradou no seu conteúdo — o que me parece tarefa ingrata e sem grande utilidade, pois cada um fará o seu próprio juízo —, começaria por referir os textos do seu director, Mário João Marques, a quem são devidos, com inteiro mérito, os maiores elogios pelo notável trabalho realizado, sob a sua alçada, por este grupo de colaboradores (entre os quais, sem imodéstia, me incluo).

Rev Club Tex dupla

Através do Tex Willer Blogue chega-nos a notícia — confirmando o grande êxito que este número obteve entre todos os sócios que já o receberam (pois nenhuma das suas expectativas saiu defraudada… e, nesta matéria, falo também por mim!) — de que a partir da próxima edição a revista terá periodicidade semestral, continuando a ser distribuídadesenho Lança Guerreiro225 gratuitamente a todos os sócios com as quotas em dia. Mário João Marques está ainda apostado em aumentar o número de páginas, devido à crescente afluência de colaboradores, assim como ao interesse já manifestado por outros autores italianos em participar com trabalhos inéditos, juntando-se a Venturi, Dotti e Biglia.

Esperemos que entre esses insignes colaboradores esteja também um talentoso artista português, autor do cartaz deste memorável Convívio e texiano dos quatro costados: António Lança Guerreiro, que teve a amabilidade de nos obsequiar com um exemplar autografado de um dos seus recentes trabalhos. Aqui o reproduzimos, com o maior prazer.

Pelos largos trilhos da Aventura, com Tex cavalgando sempre a seu lado, o destino do Clube e desta bela revista, unidos pelos mesmos objectivos — que merecem ser calorosamente saudados e apoiados —, parece, pois, a longo prazo, sereno e auspicioso.

Como diriam os nossos heróicos pards, acenando alegremente com os seus chapéus, do alto de uma colina iluminada pelo sol: Tanti auguri! Buona fortuna, Clube Tex Portugal!!

Convívio do Cacém - 8

Nota: as fotos que inserimos neste post foram reproduzidas, com a devida vénia, do Tex Willer Blog, onde pode ser apreciada uma completa reportagem do 2º Convívio do Cacém: http://texwillerblog.com/wordpress/?p=56687