TUDO COMEÇOU COM O RATO MICKEY!

walt-disneyReza a lenda que Walt Disney, artista pobre, sem esperança de triunfar no meio cinematográfico, onde era um ilustre desconhecido, foi “ajudado” por um rato que lhe fazia companhia no seu estúdio e que ele, certo dia, resolveu desenhar, baptizando-o com o nome de Mickey, num assomo de genial inspiração.

Depois, a lenda transformou-se em história, onde ficaram gravados com letras de ouro os nomes de Disney, de Mickey e de outras célebres personagens criadas (ou revividas) pelo seu fabuloso e mágico mundo dos desenhos animados: Pinóquio, Branca de Neve, DumboDonald, Peter Pan, Cinderela e muitas mais.

Um mundo onde o real se confunde com a fantasia e o sonho transporta o espírito dos espectadores de todas as idades nas suas asas douradas. Walt Disney morreu há 50 anos, rico como Crésus, mas nunca esqueceu o ratinho que lhe deu alento e esperança quando o seu estúdio não passava de um humilde apartamento.

Em homenagem à memória do maior mago do cinema, apresentamos um trabalho que lhe foi dedicado pelo Diabrete, no seu nº 790, de 24/1/1951, com o traço de outro consagrado humorista, o excelente desenhador português Marcelo de Moraes.
walt-disney-diabrete-1-218

walt-disney-diabrete-2-219

SANTO ANTÓNIO DE LISBOA

No nº 830, de 13 de Junho de 1951, o Diabrete (que ia no seu último ano de publicação) evocou a figura de Santo António, patrono dos Santos Populares e das festas de Lisboa, com uma belíssima capa ilustrada por Marcelo de Moraes, jovem artista, de seguro talento, que fora uma das maiores revelações do Camarada e já ascendera a um plano de real mérito, ombreando com Fernando Bento, Fernandes Silva, Nuno San-Payo e outros, nas coloridas páginas do Diabrete.

DIABRETE - S- ANTÓNIO