MAIS UM NÚMERO DA REVISTA DO CLUBE TEX PORTUGAL DISTRIBUÍDO AOS SEUS SÓCIOS

Clube Tex Portugal - revista nº 2

Já foi distribuída aos sócios a revista do Clube Tex Portugal na sua 2ª edição, que revela um acentuado progresso, mantendo o mesmo aliciante aspecto gráfico e apresentando-se agora com mais páginas (de 32 passou a 48) e com um “suculento” sumário, em que se destaca a homenagem aos 30 anos de carreira do consagrado autor Fabio Civitelli, dedicados quase inteiramente ao maior personagem da BD italiana e do western europeu: Tex Willer, o famoso ranger do Texas.

Clube Tex Portugal (emblema)Tema de um excelente prólogo e de uma exaustiva bibliografia crítica, trabalho assinado por Mário João Marques, que abrange doze páginas deste número, Civitelli já esteve presente em cinco festivais realizados em diferentes cidades portugueses (entre 2007 e 2012), e a sua simplicidade, bom-humor e simpatia ficaram na memória dos inúmeros admiradores que acorreram a esses eventos. Mas, a par da simpatia, Civitelli também é apreciado pelo seu enorme talento, pela perfeição estética e a inovação técnica, bem patentes no estilo elegante, dinâmico e meticuloso até aos mínimos detalhes, com que recria as figuras de Tex e dos seus pards e os míticos cenários do Oeste americano.Civitelli com as duas capas

Convidado a colaborar na revista do Clube Tex Portugal, com documentação referente à sua longa e prestigiosa carreira, Civitelli chegou mesmo a enviar duas ilustrações inéditas para a capa, ambas tão sugestivas que a direcção da revista não hesitou em aproveitá-las para a edição normal e para uma edição alternativa (esta com a capa impressa num fundo preto e branco), que está também à disposição dos sócios do Clube, podendo estes ficar gratuitamente com uma delas, pagando 10 euros pela outra.

Editorial revista nº 2Do variado sumário deste número, destacam-se ainda os artigos de um numeroso e valioso grupo de colaboradores (que tende, aliás, a aumentar): Júlio Schneider, Pedro Cleto, Sérgio Sousa, Carlos Gonçalves, Rui Cunha, António Lança-Guerreiro, Jorge Machado-Dias, Jorge Magalhães, José Carlos Francisco, além de dois “estreantes” italianos: Moreno Burattini e Italo Marucci. Mas talvez a parte mais “sumarenta”, a par das excelentes ilustrações de Fabio Civitelli, sejam os trabalhos inéditos de outros três notáveis artistas italianos: Corrado Mastantuono, Lúcio Filippucci e Andrea Venturi (autor, recorde-se, da capa do 1º número), que acederam também prontamente ao convite para participar nesta edição.

Tex por Corrado MastantuonoInfelizmente, no artigo dedicado a mestre Vítor Péon, o nosso autor de BD que criou mais westerns, com verdadeira paixão pelo género, algumas imagens — páginas completas, com a profusão de detalhes, a variedade de planos e a acção cinética que caracterizam o seu estilo — foram demasiado reduzidas. Geralmente, na maioria dos blogues podemos, com um toque do “rato”, ampliar as imagens, o que é impossível numa revista impressa. Só com uma lupa… Esperemos que erros como esse sejam corrigidos nos próximos números.

Pelos ecos já chegados à redacção, esta revista — cuja periodicidade deu também um grande salto, passando de anual a semestral — continua a fazer, com êxito, o seu percurso entre a comunidade de sócios do Clube Tex Portugal espalhada pelo mundo, mas também junto de muitos autores texianos e da própria SBE (Sergio Bonelli Editore), e tem sido um dos principais factores de divulgação, não só do nome e dos projectos do Clube, como do devotado afecto que os leitores portugueses nutrem, ainda hoje, pelo carismático herói do Oeste americano criado em 1948 por Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini.

Francesco Micoli com a revista do Clube Tex Portugal

Parabéns ao Clube Tex Portugal pelo seu dinamismo e por esta magnífica revista, dirigida por Mário João Marques e coordenada por José Carlos Francisco.

(Nota: as imagens que ilustram este texto foram extraídas, com a devida vénia, do Tex Willer Blog, cuja consulta recomendamos a todos os que quiserem aderir ao Clube Tex Portugal, pagando apenas uma jóia de 5 euros e uma quota mensal de 2 euros).    

TEX COLECÇÃO CELEBRA O Nº 300

Tex Coleção 300Desde há muito que os números centenários das revistas periódicas, nomeadamente as de carácter mais lúdico, como as que publicam histórias ilustradas (vulgo histórias aos quadradinhos ou banda desenhada), costumam ser assinalados de forma especial, distinguindo-se essa celebração, na maioria dos casos, por melhorias editoriais que tanto podem consistir num aumento do número de páginas como numa apresentação mais garrida (a cores, por exemplo, quando as revistas são a preto e branco) e numa capa sugestiva em que se dá devido destaque à efeméride.

Por vezes, justificando o inevitável aumento de preço, os leitores são presenteados também com um brinde extra — geralmente uma separata com um poster —, regalia só por si suficiente para aguçar o interesse dos habituais compradores e atrair novo público, que passará eventualmente a fidelizar-se ao título, acompanhando-o a partir dessa edição.

Tex - pág. de rostoTodos estes ingredientes que fazem de um número centenário um marco de especial importância na vida de qualquer publicação periódica — e muito particularmente nas de BD, que costumam ter uma relação mais próxima com os leitores — estão reunidos no Tex Colecção nº 300, mais uma edição brasileira com o selo da Mythos que chegou em Maio às nossas bancas.

Um grande poster duplo (42 x 56 cms), com ilustrações de Claudio Villa e Fabio Civitelli, dois dos mais consagrados desenhadores italianos (e texianos) da actualidade, e uma história completa a cores, constituem as galas com que esta revista triplamente centenária festejou um longo e ininterrupto trajecto de 25 anos, dedicado à reedição integral e por ordem cronológica das aventuras do maior herói do faroeste europeu, criado em 30 de Setembro de 1948 pelos mestres Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini — e adaptado ao cinema, em 1985, num filme do realizador italiano Duccio Tessari, com o célebre actor Giuliano Gemma como protagonista.

Tex poster

Curiosamente, a aventura incluída nesta edição, com o título Forte Apache, ostenta também os nomes daqueles dois ilustres pioneiros e foi publicada originalmente, a cores, no Tex italiano nº 100 (Fevereiro de 1969), o primeiro marco centenário de uma colecção que no Brasil já ultrapassou o nº 540.

46 anos depois dessa data, e quase sete décadas após o nascimento de Tex Willer, o bom e velho bang-bang ainda marca presença nas bancas, preenchendo as saudades de um tempo em que as revistas com histórias de cowboys eram às dúzias.

100 “CAVALEIROS” NUM “GALOPE” TRIUNFAL!

Fundado há menos de dois anos, em Anadia, por iniciativa de um entusiástico grupo de leitores/amadores das aventuras de Tex Willer, um dos mais famosos cowboys da BD europeia, o Clube Tex Portugal conta já com 100 associados de vários países, pois, após editar o 1º número da sua revista, decidiu “abrir-se ao mundo”, aceitando nas suas fileiras membros de outras comunidades texianas e alargando assim, de forma crescente e imparável, a sua projecção internacional.

2015-04-21 19.21.18

O sócio nº 100 é o crítico italiano Marucci Italo, que na foto junta — extraída com a devida vénia do blogue do Tex, orientado por José Carlos Francisco, presidente da direcção do novel Clube Tex Portugal — está no meio dos seus Logótipo do Clube Tex Portugalamigos e compatriotas Fábio Civitelli e Roberto Diso, dois consagrados autores de BD bem conhecidos em Portugal, sobretudo o primeiro (à esquerda), que já esteve presente por cinco vezes no nosso país, a convite de alguns dos principais Salões de BD que se realizam (ou realizaram) anualmente de norte a sul.

Com a abertura a novas fronteiras e tão numeroso grupo de seguidores, o Clube Tex Portugal — que nos próximos dias 9 e 10 de Maio irá realizar a sua 2ª Mostra na cidade de Anadia, com a presença de outros dois grandes nomes da BD italiana: Stefano Biglia (autor do cartaz oficial do evento) e Pasquale Frisenda — “galopa” briosamente ao encontro de novas e ainda mais destemidas façanhas!

Cartaz-institucional-da-2ª.-Mostra-do-Clube-Tex-Portugal