HAGAR E O FUTEBOL

O triste caso, que tanta celeuma provocou, ocorrido recentemente na Academia do Sporting, em Alcochete, assemelha-se, aqui para nós, a um jogo de futebol sem bola, em que uma das “equipas” — ainda por cima mais numerosa — procura derrubar os “adversários”, recorrendo a meios violentos.

Mas esse jogo já tinha sido inventado no século X pelos Vikings, povo bélico do Norte da Europa, famoso pelos seus saques e pelas suas viagens marítimas.

Prova disso é esta página da hilariante série Hägar, o Abominável [Viking], criada por Dik Browne, que fez as delícias de muitos leitores de jornais e revistas, mormente do Mundo de Aventuras, de cujo nº 396 (2ª série) a extraímos.

A bola só apareceu muitos séculos depois… e ainda hoje há quem a confunda com as pauladas e as cabeçadas!

OS REIS DO RISO – 2

HÄGAR E ASTÉRIX NA ESCÓCIA

Na mais recente aventura de Astérix e Obélix editada pela ASA, os dois irredutíveis gauleses (agora, com Uderzo já na reforma, confiados a uma nova e talentosa dupla de criadores), foram de abalada até à Escócia (aliás, Caledónia), misterioso e longínquo país nórdico onde viviam os Pictos, um dos povos mais belicosos desse tempo — e com costumes tão estranhos que deixaram atónitos os nossos heróis.

Hagar Conquista a Europa capaPois também noutra famosa série humorística, Hägar the Horrible (ou Hägar, o Abominável, como foi traduzida algumas vezes, entre nós), da autoria de Dick Browne, um mestre do género, vencedor do prémio Reuben (que fisicamente até se parecia com o seu personagem), a Escócia surge, às vezes, como cenário. Eis um exemplo, quando o truculento chefe dos Vikings, sempre pronto para a guerra e para a farra — sem contar com outras actividades que lhe permitem passar longas temporadas fora de casa, onde quem manda é a sua esposa Helga, uma espécie de Valquíria —, encontra, ao invadir novamente a Escócia, uma “pavorosa” criatura que logo lhe desperta a fúria guerreira. E o resultado está à vista… nesta página de 13/1/1974.

Hagar, o abominável247

Astérix e Obélix, ao ouvir tão estridentes acordes, portaram-se de maneira mais civilizada (salvo alguns tabefes de Obélix, numa primeira reacção, bastante moderada para o seu feitio!), ou não fossem os Gauleses, como todos sabem, um povo superior aos “horríveis” Vikings… apesar de não terem muito respeito pelo seu bardo Assurancetourix!

Astérix entre os pictos - 1248