UM ANO DEPOIS…

AINDA SOMOS CHARLIE?

Je suis Charlie

Cada um luta à sua maneira… Eles lutavam com as imagens, as palavras e o humor, pela defesa da liberdade de expressão. E por algo ainda mais valioso: o direito à vida, em toda a plenitude do ser humano e do seu espírito racional, num mundo sem opressores e oprimidos. 

WOLINSKI: A DESPEDIDA

Volinski a despedida

Eis o último cartoon de Wolinski (quase premonitório), publicado no Paris-Match um dia depois do atentado contra o Charlie Hebdo, em que também pereceram outros grandes humoristas, seus companheiros de redacção, como Cabu, Charb e Tignous.

Colaborador habitual do Paris-Match desde 8 de Novembro de 1990, Wolinski assinava todas as semanas um cartoon sobre a actualidade política, salvo raros períodos de férias em que foi substituído por Cabu, um dos seus melhores amigos.

Volinski retrato316Ao prestar-lhe a última homenagem, publicando este desenho recebido na redacção três dias antes, o histórico semanário francês não deixou de salientar uma estranha coincidência: a última palavra que Wolinski escreveu no seu cartoon tinha já uma carga tão fatalista como o inexorável destino de que em breve seria vítima! Curiosa- mente (se é que se pode empregar este advérbio), o mesmo destino que tivera o seu pai, assassinado a tiro na Tunísia, terra natal do irreverente e mordaz desenhador… para quem o trabalho, aos 80 anos, era a maior e mais divertida de todas as recompensas.

TODOS ESTAMOS COM O CHARLIE! AGORA E SEMPRE!…

Charlie Hebdo - 1

PELA LIBERDADE DE EXPRESSÃO… PELA LIBERDADE DE PENSAR… PELA LIBERDADE DE VIVER NUM MUNDO SEM ÓDIOS NEM FANATISMOS! FAÇAMOS DO HUMOR A LINGUAGEM DO DIREITO UNIVERSAL… A CHISPA QUE ACENDE O RISO E ILUMINA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA… PARA QUE NINGUÉM VEJA UM CARTOON COMO UMA MISTURA INFLAMÁVEL QUE PODE PROVOCAR A MORTE!