IN MEMORIAM (DA MOUNETTE) – 8

Poesia Felina – 16, publicada em 23/06/2015 no blogue Gatos, Gatinhos e Gatarrões, com ilustração de Catherine Labey.

Advertisements

IMAGENS DO PASSADO: “OS BEATLES”

Quatro lendas da música “pop” que revolucionaram a sociedade de uma época, em todo o mundo ocidental, sobretudo entre a juventude… numa foto dos seus primeiros tempos, publicada na revista Zorro nº 110 (14/11/1964). Da esquerda para a direita: John Lennon, Ringo Starr, Georges Harrison e Paul McCartney.

Foi Larry Barnes quem os descobriu, durante uma digressão na Escócia, em 1960. Ringo Starr só se juntou ao grupo em 1962. A sua primeira gravação data de Setembro de 1961 e incluiu dois trechos: “Love me do” e uma nova versão de um velho êxito: “P. S. I love you”. Esse primeiro disco não chamou muito as atenções. Mas o segundo, com o título “Please, please me”, bateu todos os recordes.

A partir desse estrondoso êxito, a carreira ascensional dos Beatles tornou-se um fenómeno, difundindo a sua imagem e a sua música em todo o mundo. Ainda hoje são uma lenda, que influenciou várias gerações!

IMAGENS DO PASSADO – 1

Esta foto histórica, com quatro dos maiores desenhistas brasileiros do século XX, verdadeiras glórias da ilustração e das “histórias em quadrinhos”, foi extraída de uma revista da EBAL (Editora Brasil-América Lda.), a Epopeia-Tri nº 55 (Fevereiro 1986).

Ivan W. Rodrigues foi autor da “História do Brasil em Quadrinhos” (2 vols.) e de outras obras documentais de referência; A. Monteiro Filho, precursor de toda uma geração de desenhistas, lançou as histórias em quadrinhos no Brasil; André Le Blanc foi o primeiro artista brasileiro do seu género a fazer carreira nos Estados Unidos; e António Euzébio tornou-se o capista, por excelência, da EBAL, com obras admiráveis espalhadas por dezenas de revistas (muitas das quais distribuídas também no nosso país).

ARTUR CORREIA HOMENAGEADO EM MOURA

É já no próximo domingo, 15 de Abril, que se inaugura em Moura, às 15:00 horas, uma exposição de trabalhos de Artur Correia, nome incontornável da Banda Desenhada e do Cinema de Animação recentemente desaparecido, como noticiámos.

A exposição, organizada pela Câmara Municipal de Moura, está inserida na 38ª edição da Feira do Livro e decorre no Parque de Feira e Exposições (pavilhão 2) daquela cidade, até ao próximo dia 26 de Abril.

Mais do que uma exposição sobre o conjunto da vasta obra de Artur Correia (iniciada, em 1948, n’O Papagaio), esta significativa mostra detém-se, maioritariamente, em material poucas vezes ou nunca antes exposto em público: esboços, ilustrações avulsas, argumentos e guiões, pranchas inéditas, cartunes, projectos começados e nunca concluídos, storyboards, postais ilustrados, jogos, revistas, capas de discos, filmes de animação, cartões de Aniversário e de Natal personalizados… Enfim, um vasto e diversificado leque de trabalhos que, certamente, encantarão quem tiver a oportunidade de ir a Moura, no coração do Alentejo.

E muita gente da “tribo” da BD se perfila já para marcar presença no dia 21 de Abril, sábado, data da sessão de homenagem póstuma, que inclui também o lançamento de mais um número dos “Cadernos Moura BD”, dedicado a Artur Correia (com duas histórias inéditas: “Donzela que vai à Guerra” e “A Nau Catrineta”). Será, também, exposto um conjunto de testemunhos (escritos e desenhados) de colegas de ofício e amigos de Artur Correia, que quiseram, dessa forma, associar-se a esta bela homenagem.

Nota: noticiário extraído do blogue BDBD (http://bloguedebd.blogspot.pt), a cargo de Luiz Beira e Carlos Rico. Em devido tempo, como anunciou, este blogue publicará a reportagem que se impõe sobre a meritória iniciativa da Câmara Municipal de Moura. Até lá, porque não uma visita à Feira do Livro e à grande exposição de Artur Correia, no próximo dia 21 de Abril?

IN MEMORIAM: SERVAIS TIAGO (1925-2018)

Lisboeta, nascido a 16 de Junho de 1925, Armando de Almeida Servais Tiago colaborou em revistas como Sempre-em-Pé, Filmagem, O Mosquito, Diabrete, Cartaz, Riso Mundial, O Século, Boletim do Clube Português de Banda Desenhada ou Almada BD Fanzine.

Foi um desenhador de estilo caricatural e humorístico, sendo “Barnabé” (que se estreou em 1945 n’O Mosquito) o seu personagem de BD mais emblemático. Fez ilustrações e capas de livros, tendo-se, também, dedicado ao cinema de animação (criou os estúdios Movicine), obtendo alguns prémios em festivais internacionais.

Em 1943, com apenas 18 anos de idade, produziu “Automania”, filme inspirado no grafismo de Walt Disney e dos seus colaboradores — que, aliás, também imitava nas suas histórias aos quadradinhos —, com o qual venceu várias competições, incluindo o prémio Galo de Ouro da Pathé-Baby, o Troféu Ferrania e a Taça do Melhor Filme do Concurso Nacional de Cinema de Amadores. Ainda hoje, segundo Paulo Cambraia, é o filme português de animação original mais antigo, completo e em bom estado.

Em 1946, Servais Tiago começou a trabalhar nos estúdios Kapa, onde adquiriu conhecimentos mais profundos sobre a técnica de animação. Fez vários filmes publicitários, dos quais se destacam “Perfumes Kimono” (1946) e “Malhas Locitay” (1946), realizando ainda os primeiros filmes de animação portugueses a cores: “Tricocida” (1955) e “Grandella” (1956). Para a RTP, da qual foi também colaborador, criou o famoso “Zé Sempre em Pé”.

Servais Tiago faleceu tragicamente em Lisboa, no passado mês de Fevereiro, vítima de atropelamento. Com 92 anos, era o decano dos autores portugueses de BD e um dos últimos pioneiros do cinema de animação (como Artur Correia, de quem foi grande amigo), mas nunca teve as homenagens que merecia. Nem sequer depois da sua morte…

Nota: parte deste texto foi adaptado dos blogues BDBD e Animação Portuguesa. Ver “post” mais completo, com vídeo, no blogue A Montra dos Livros.

A “BOTINHAS”

Mais um triste aniversário, hoje… mas é bom recordar os entes que marcaram, de uma maneira ou de outra, a nossa vida. Jorge Magalhães traduziu este sentimento numa poesia que partilhamos com os nossos leitores.

Poema de Botinhas

Poesia Felina-13, publicada em 6 de Março de 2015 no blogue de Catherine Labey Gatos, Gatinhos e Gatarrões.