IMAGENS DO PASSADO: LEE FALK E RAY MOORE

Nestas fotos, extraídas do Jornal do Cuto nº 46, de 17/05/1972, figuram os dois criadores do FANTASMA, o primeiro herói mascarado da BD, hoje já em declínio de popularidade, na ausência do seu mentor literário e dos desenhadores que lhe deram “corpo e alma” nas décadas mais gloriosas da sua existência, como Ray Moore, Wilson McCoy e Sy Barry.

Lee Falk, que foi também o criador de Mandrake, faleceu com idade avançada (87 anos), em 13/03/1999; Ray Moore, cujo trabalho mais conhecido é o Fantasma, com um estilo de ilustração influenciado pelo dos pulps, deixou este mundo em 13/01/1984, com 76 anos.

Pouca gente sabe que, em Portugal, o Fantasma se estreou na revista O Pirilau, em 1940, com desenhos de Ray Moore, reaparecendo 12 anos depois na Colecção Condor, ilustrado por Wilson McCoy. Mandrake também chegou a estar anunciado n’O Pirilau.

A 1ª página dominical do Fantasma, desenhos de Ray Moore (28/05/1939)

Advertisements

BEOWULF, DE DAVID RUBÍN, ESTREIA-SE EM PORTUGAL COM O SELO DE UMA NOVA EDITORA

Sem grande aparato, mas posicionando-se já como uma válida aposta no efervescente meio editorial português de Banda Desenhada, a novel editora Ala dos Livros anuncia o seu primeiro lançamento, aproveitando a vinda ao próximo COMIC CON, a realizar em Lisboa, nos dias 6 a 9 de Setembro, do autor galego David Rubín.

Trata-se de um dos melhores elementos da pujante escola contemporânea espanhola, que tem dado cartas na BD mundial e começa também a ser devidamente apreciada pelos leitores portugueses. Na sua estreia entre nós, David Rubín apresenta-se com uma obra de ressonâncias épicas, magnificamente ilustrada e colorida, cujo imaginário se inspira num dos mais prodigiosos heróis da mitologia escandinava: Beowulf, o exterminador de monstros e outras criaturas malignas que povoam as fantásticas lendas dos povos nórdicos.

Não só pela concepção plástica e narrativa, como pelo vigor formal de um estilo que cativa irresistivelmente o olhar dos leitores, esta obra valeu a David Rubín uma nomeação para os cobiçados Prémios Eisner do corrente ano.

(Clique aqui para ver mais informações noutro dos nossos blogues, O Gato Alfarrabista Júnior, com páginas do álbum e nota do Editor).

DE MESTRE PARA MESTRE: JOSÉ RUY, O PALADINO DA BD (POR FERNANDO BENTO)

Homenagem prestada a José Ruy, quando este celebrou o seu 65º aniversário e 50 anos de carreira artística, por outro grande mestre da BD portuguesa: Fernando Bento.

(Ilustração extraída do fanzine “Simão” nº 6, Maio de 1995, dedicado a José Ruy).

CITAÇÃO DO MÊS – 50

MORENO BURATTINI (Escritor e autor de BD)

«Sou muito tranquilo em relação ao mistério do nascimento das ideias. Hoje sei que elas chegam por magia e que as histórias a contar vêm de algum lugar (nunca soube de onde) e apresentam-se sozinhas. Não sou eu que saio à caça de ideias, são elas que ficam emboscadas e saltam sobre mim quando passo pelo seu caminho».