IN MEMORIAM: JOSÉ MANUEL SOARES (1932-2017)

Depois de dezasseis anos num estado quase vegetativo devido a três AVC’s sofridos, faleceu no passado dia 31 de Dezembro mestre José Manuel Soares, tão ilustre pintor como autor de vasta obra pela Banda Desenhada.

Residia na Costa da Caparica e era casado com a pintora Ângela Vimonte. Nasceu em S. Teotónio (concelho de Odemira) a 7 de Setembro de 1932. Tinha uma galeria com exemplos da sua Pintura, em Leiria.
Foi homenageado pela BD, na Sobreda (1986), em Moura (1993) e, em 1996, no 15.º Festival de Banda Desenhada de Lisboa.
Colaborou para muitas publicações, como “Diabrete”, “Cavaleiro Andante”, “Pimpão”, “Mundo de Aventuras”, “Fagulha”, “Lusitas”, “O Odemirense”, “Cara Alegre”, “Jornal de Almada”, “Diário do Norte”, “Alentejo Popular”, etc.
Com vastíssima obra pela 9.ª Arte, muito poucos exemplos estão registados e recuperados em álbum, a saber:
Em 1985, pela Editorial Futura, um álbum com as narrativas “A Ala dos Namorados” e “De Angola à Contra-costa”, obras publicadas anteriormente na revista “Cavaleiro Andante”.
Em 1990, “Luís Vaz de Camões”, com edição da Câmara Municipal de Odemira.
Em 2000, pelo Grupo Bedéfilo Sobredense (GBS), o n.º 15 de “Cadernos Sobreda-BD”, com as narrativas “O Morcego de Veludo” e “Rasto de Fogo”.
Alguns outros títulos da sua arte como desenhista: “Zeca”, “O Filho do Leão”, “Giácomo, o Indesejável”, “O Ferido do Bosque”, “Zona Perigosa”, “O Palácio de Cristal”, etc.
De entre outros, desenhou argumentos de Artur Varatojo e de Raúl Cosme. Pela sua Pintura, foi digna e diversas vezes premiado.
Expôs exemplos da sua banda desenhada na Sobreda, Moura, Lisboa, Viseu e Leiria. Em Agosto de 2014, foi inaugurado em Pinhel o Museu José Manuel Soares, no primeiro andar da Casa da Cultura (antigo Paço Episcopal, edifício datado do Séc. XVIII). Uma justíssima homenagem à memória e à obra do artista, onde se pode apreciar a sua Pintura e a sua Banda Desenhada [como documenta a imagem seguinte].
Que mestre José Manuel Soares esteja agora na devida paz eterna! À sua viúva, Ângela Vimonte, apresentamos as mais sinceras condolências.

                                                                                                                    Luiz Beira/Carlos Rico

Nota: este texto e algumas imagens foram reproduzidos, com os nossos agradecimentos, do blogue BDBD. O “post” completo, com muitos exemplos da arte de José Manuel Soares, pode ser visto em http://bloguedebd.blogspot.pt/2018/01/faleceu-jose-manuel-soares.html).

Advertisements

2 thoughts on “IN MEMORIAM: JOSÉ MANUEL SOARES (1932-2017)

  1. E sempre muito triste, muito doloroso, ver partir grandes vultos da cultura nacional.
    Que o mestre José Manuel Soares descanse em Paz, contemplando a magnífica obra que nos deixou. Bem haja.

  2. Tem absoluta razão, Amigo Pais Pinto. José Manuel Soares foi não só um grande pintor e ilustrador, como também um grande vulto da cultura nacional, no século XX, que merece todo o reconhecimento dos seus contemporâneos e das gerações futuras. Esperemos que a sua obra, tanto a pictórica como a que deixou aos leitores de Banda Desenhada, não se perca na indiferença com que hoje muitos editores e comentadores encaram as heranças do passado, minimizando o seu valor artístico em razão dos seus gostos e interesses que mascaram, por vezes, uma profunda ignorância.
    JM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s