POSTAIS ILUSTRADOS – 15

QUERES SABER COMO ÉS? VÊ O MÊS EM QUE NASCESTE…

Para fechar com “chave de ouro” este mês de Setembro — em que conseguimos ainda apresentar 17 posts, sem atingir o limite de espaço, graças aos temas que criámos noutros blogues para “aliviar” O Gato Alfarrabista —, eis mais dois postais da série juvenil editada pela Pórtico nos anos 1960, com magníficas ilustrações de dois versáteis e talentosos artistas, Júlio Gil e Carlos Roque, cujas obras merecem um lugar de destaque na escola humorística que floresceu no Camarada, embora o primeiro se tenha também distinguido como exímio ilustrador de traço realista.

E até Carlos Roque, nos alvores da sua carreira, revelou notáveis aptidões para o estilo “sério”, antes de se dedicar exclusivamente, com engenho e arte, em Portugal e na Bélgica, aos “bonecos” humorísticos…

Advertisements

A GRANDE AVENTURA DO JORNAL TINTIN

tintin-paris-match-e-dbd

Depois do Paris Match, que lhe dedicou um número especial com 112 páginas, recheadas de artigos, entrevistas e imagens de interesse histórico, a revista especializada dBD assinalou também o 70º aniversário do Tintin belga, nascido em 26 de Setembro de 1946, por iniciativa de Raymond Leblanc, fundador das Éditions du Lombard, e sob a direcção artística do mais famoso autor dessa época, Georges Rémi (Hergé), a quem coube a tarefa de reunir uma ecléctica equipa de colaboradores, da qual fizeram parte, nos primeiros tempos, Edgar Pierre Jacobs, Jacques Laudy, Paul Cuvelier, Le Rallic e ele próprio.

Tão intemporal como o célebre herói que lhe deu o nome, o semanário “dos jovens dos 7 aos 77 anos” (que já não se publica desde 1988) continua a perdurar na memória dos seus fiéis leitores espalhados pelo mundo — e que em Portugal, graças a uma edição lançada em Junho de 1968, foram também da ordem das dezenas de milhares.

Nessas luxuosas publicações, recentemente distribuídas nas bancas portuguesas e que recomendamos sem reservas a todos os tintinófilos, em geral, e aos visitantes deste blogue, em particular, constam várias homenagens aos principais heróis da revista e seus autores, com destaque para uma grande entrevista com Raymond Leblanc (no Paris Match Hors-Série) e para séries emblemáticas como Blake e Mortimer, Alix, Dan Cooper, Chlorophylle, Modeste et Pompon, Ric Hochet, Michel Vaillant, Corentin, Thorgal, Bernard Prince e muitas outras, à testa das quais figura naturalmente o incontornável personagem que deu fama, glória e fortuna ao seu criador: o sempre jovem Tintin, que Hergé quis que morresse com ele, mas que afinal lhe sobreviveu mesmo sem viver novas aventuras, para deleite de quem ainda sonha com um mundo transfigurado pela inocente magia do exotismo.

FOLIO – A GRANDE FESTA DO LIVRO E DA CULTURA EM ÓBIDOS

folio-obidos

Folio, um Festival Literário em que a BD também participa (espera-se que em maior percentagem nas próximas edições), contando com a presença de Geraldes Lino para uma palestra sobre Fanzines, esses desconhecidos (sábado, dia 24, às 18h30, na Livraria do Mercado). Quem viajar confortavelmente para Óbidos no Comboio Literário desfrutará também de um vislumbre de BD, graças à ideia original de uma exposição ferroviária “ambulante” com algumas pranchas de autores portugueses: Álvaro, Joana Afonso, João Sequeira, José Smith Vargas, Paulo Monteiro e Rui Lacas.

folio-expo-bd

Folio, um evento de dimensão internacional, em que literatura (e outras artes), autores, animadores e público comungam a mesma utopia!

Nota: A foto do Comboio Literário foi reproduzida, com a devida vénia, do blogue Divulgando BD, coordenado por Geraldes Lino. 

A QUINZENA CÓMICA – 25

TEMPO DE PRAIA – 3

caraalegre-159-838

Aproveitando o bom tempo que este aprazível mês de Setembro continua a oferecer-nos, embora o Verão já se tenha despedido, que tal outra ida à praia em companhia do nosso folgazão “Cara Alegre”? Se aceitarem o convite, garantimos-lhes um bom divertimento, com as piadas e o traço de Velez de Lima, Jacques Faizant, Tetsu e outros cartunistas que fizeram do “Cara Alegre” o rei da paródia à portuguesa.

caraalegre-159-a

SANTO ANTÓNIO EM BANDA DESENHADA – UMA NOVA OBRA DE JOSÉ GARCÊS

garces-santo-antonio

Com este novo lançamento, o Público e a Europress põem à disposição de todos os devotos de Santo António (e dos leigos que são apreciadores de Banda Desenhada) um belo álbum realizado por Mestre José Garcês, decano da BD portuguesa, que em 2016 celebra 70 anos de meritória carreira como autor de vasta obra de índole recreativa, didáctica e cultural. Citando o Público:

“Na sua narrativa fluida e envolvente, José Garcês recria a vida, os milagres e a herança de Santo António, um homem comum com qualidades invulgares que o transformaram em ícone da Igreja Católica e da cultura popular”.

Uma obra a vários títulos assinalável, que demonstra o vigor e a paixão com que, nesta fase da sua carreira, José Garcês continua a abordar temas e personagens da nossa História que lhe são caros.

FERNANDO BENTO – UMA MEMÓRIA SEMPRE VIVA

fernando-bento

Ilustrador, pintor, caricaturista, figurinista, cenógrafo (e muito mais), Fernando Bento foi um autor versátil, polivalente, que deu vida e colorido a algumas das mais belas páginas publicadas em jornais infanto-juvenis, como Diabrete, Pim-Pam-Pum, Cavaleiro Andante, O Pajem, na fase mais criativa e original de uma longa e esplendorosa carreira.

Assinalando o 20º aniversário da sua morte (14 de Setembro de 1996) — como fez, com a oportunidade e o primor habituais, o nosso colega Largo dos Correios, cujos posts diários consideramos de consulta obrigatória —, queremos também recordar uma entrevista do saudoso Mestre, que o semanário de actualidades O Século Ilustrado (então, muito em voga) publicou no nº 961, de 2 de Junho de 1956.

Sob o título “No Banco dos Réus”, esse tipo de entrevista consistia num singelo questionário, que pouco tinha de particular no tocante a aspectos de índole profissional, cingindo-se a temas mais genéricos e banais, a que os entrevistados deveriam responder com ligeireza (temperada de ironia) e bom-humor. Fernando Bento não fugiu à regra, entrando no “jogo” sem reticências, mesmo que uma das suas respostas possa suscitar alguma surpresa. Mas convém não esquecer a época e o seu contexto…

bento-seculo-ilustrado

SÁBADO, 17 DE SETEMBRO: COLÓQUIO COM JOSÉ RUY NA BEDETECA JOSÉ DE MATOS-CRUZ

bedeteca-s-domingos-de-rana

Após a inauguração no final do ano passado, a Bedeteca José de Matos-Cruz, integrada na Biblioteca Municipal de São Domingos de Rana, dá início à sua programação nas lides da arte sequencial e demais áreas de afinidade, com a rubrica Conversa(s) sobre Banda Desenhada, tendo como primeiro convidado Mestre José Ruy, num encontro moderado por José de Matos-Cruz. A entrada é gratuita.

 

A QUINZENA CÓMICA – 24

TEMPO DE PRAIA – 2

Cara Alegre 185 742

Esta capa do nosso emblemático “Cara Alegre” é de José Viana, então de regresso à revista, com as “baterias” do humor mais carregadas do que nunca… E o tema até se liga bem com a actualidade (58 anos depois), porque o Casino Estoril, cada vez mais cheio, continua a ser o local onde muitas ilusões se perdem… especialmente a de enriquecer de um dia para o outro com os “jackpots” que só saem aos milionários.   

JOSÉ RUY E BAPTISTA MENDES HOMENAGEADOS PELO GICAV EM VISEU

José Ruy (Viseu 2016)

Infante D. Henrique (Viseu 2016)No âmbito da exposição sobre o Infante D. Henrique na Banda Desenhada, inaugurada em Viseu há uma semana, no Pavilhão Multiusos da famosa Feira de S. Mateus, onde estão patentes ilustrações de vários autores, queremos assinalar, mais uma vez, a homenagem prestada a José Ruy e Baptista Mendes, dois veteranos da BD portuguesa cuja longa e prestigiosa carreira ficou indelevelmente ligada aos personagens e às narrativas de índole histórica, género em que ostentam, com inteiro merecimento, o insigne título de Mestres.

Infante D. Henrique (álbum Gicav)Por iniciativa do Grupo de Intervenção e Criati- vidade Artística de Viseu (Gicav), organizador da referida exposição, com o apoio da Câmara Municipal daquela cidade, da Viseu Marca e do Instituto Português do Desporto e Juventude, foi editado um álbum com duas histórias dos homenageados, alusivas ao Ínclito Infante, ambas oriundas de publicações dos anos 1960.

Aqui ao lado reproduzimos a capa desse álbum, com sinceras felicitações a Baptista Mendes, José Ruy (na foto supra, com Luiz Beira) e ao dinâmico grupo cultural Gicav, de Viseu, promotor de uma meritória iniciativa que, nos últimos anos, tem posto em destaque os mestres da BD portuguesa e os profundos laços da sua obra artística com as maiores figuras do nosso património cultural e histórico.

Propomos a todos os interessados que façam uma visita ao excelente blogue BDBD, orientado por Carlos Rico e Luiz Beira, onde está patente uma reportagem alusiva ao acto inaugural deste evento, que teve como noutros anos grande afluência de público. Aqui fica o link: http://bloguedebd.blogspot.pt/2016/09/o-infante-d-henrique-em-viseu.html