CALENDÁRIOS ILUSTRADOS – 5

Calendarios - Abril 1957

Continuamos a apresentar algumas folhas de um calendário com magníficas ilustrações de Mário Costa (1902-1975), reputado pintor aguarelista, com vasta obra sobre assuntos históricos, mas também como ilustrador de estilo moderno em publicações várias, entre elas revistas infanto-juvenis que marcaram uma época, como O Senhor Doutor, Pim-Pam-Pum e Tic-Tac. Teve também breve participação n’O Mosquito, onde foi reeditada a novela “O Filho do Faroleiro”, da autoria de António Feio, com desenhos de Mário Costa.

Na inolvidável série de quadros da História de Portugal que realizou para este calendário patrocinado por uma empresa fabril — perfeita aliança entre a criação artística e a propaganda comercial —, destacam-se vários temas e várias figuras que ficaram célebres, como a do insigne Condestável D. Nuno Álvares Pereira, herói e génio militar invencível que, ao lado do Mestre de Avis, futuro rei D. João I, combateu sem tréguas os castelhanos, tornando-se um paradigma de bravura e amor à pátria e um exemplo para muitos portugueses que ainda hesitavam em defender a independência do seu reino, submetidos à vontade das Cortes e dos nobres que apoiavam o rei de Castela.

Advertisements

PALESTRA DE NATANIA NOGUEIRA NA BEDETECA DA AMADORA: “MULHERES NA BD BRASILEIRA”

Biblioteca da Amadora

25 de abril | 16h00

BEDETECA | Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos

Numa organização do Clube Português de Banda Desenhada, a Bedeteca da Amadora recebe, no próximo dia 25 de Abril (segunda-feira), pelas 16h00, a especialista brasileira Natania, que dissertará sobre o tema “Mulheres na BD Brasileira”.

Em 2 de Novembro de 2003, no âmbito do Amadora BD sob o tema da mulher, Sónia B. Luyten e a autora Ciça fizeram uma primeira abordagem ao tema da mulher na BD brasileira. Em causa estava, sobretudo, uma mudança de paradigma decorrente do aparecimento de mulheres autoras. Escrevia Sónia B. Luyten em texto do catálogo do Festival: “As mulheres do novo milénio tentam fugir dos estereótipos da personagem feminina saídos da pena masculina, construída e produzida a partir de seu registo. As mulheres não querem ser mais como a ninfa Eco, de Ovídio, que apenas repete como um eco o que Narciso diz, e foi, sem dúvida, desta repetição que nasceram todos os equívocos e paradoxos que ilustram a fala da mulher em textos e desenhos feitos por homens”.

Doze anos depois, no ano da polémica de Angoulême, após a não inclusão de qualquer nome feminino na lista de candidatos ao Prémio da Cidade, a estudiosa Natania Nogueira vem fazer o ponto da situação.

Há duas grandes diferenças entre 2003 e 2016: em primeiro lugar, a Internet, a par da cena independente, possibilitou um enorme aumento da BD feita por mulheres no Brasil; em segundo lugar, há uma maior proximidade da BD brasileira ao grande público português, para além dos grandes clássicos.

Natania

NATANIA NOGUEIRA

Natania Nogueira é mestre em História do Brasil pela Universidade Salgado de Oliveira (UNVERSO), onde teve como orientadora a historiadora e escritora Mary Del Priore. O tema da dissertação foi “As representações femininas nas histórias em quadrinhos norte-americanas: June Tarpé Mills e sua Miss Fury (1941 – 1952).”

É sócia fundadora da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial (ASPAS), onde actualmente ocupa o cargo de Directora Financeira, e membro da Academia Leopoldinense de Letras e Artes (ALLA), em Leopoldina, MG, e da Academia Lavrense de Letras (ALL), em Lavras, MG.  

Contribuiu com artigos para a revista francesa Papiers Nickelés. Tem diversos textos publicados sobre a temática da mulher na banda desenhada e sobre banda desenhada e projectos educativos.

 

A QUINZENA CÓMICA – 16

O ANÚNCIO DA PRIMAVERA

Cara Alegre 54 252

Mais uma ronda pela 1ª série do Cara Alegre, onde encontrámos esta capa primaveril, com o humor e o traço de um exímio cartoonista, que foi também um grande actor do teatro de revista: José Viana. A arte, a imaginação, o humor, a fantasia e o espectáculo de mãos dadas, num dos momentos mais felizes e criativos da comédia popular em Portugal… onde a imprensa humorística também figura em lugar de honra!

 

VEM AÍ A 3ª MOSTRA DO CLUBE TEX PORTUGAL!

cartaz-de-maurizio-dottiRepetindo o que já se tornou uma tradição ansiosamente aguardada, nos primeiros meses do ano, por todos os fãs texianos portugueses (e por muitos outros bedéfilos), vai realizar-se nos próximos dias 23 e 24 de Abril a 3ª Mostra do Clube Tex Portugal, que terá mais uma vez como cenário o belo Museu do Vinho Bairrada, em Anadia.

Este ano, a Mostra, como já anunciámos, conta também com a participação de dois artistas italianos de renome, os desenhadores Maurizio Dotti (na foto da esquerda) e Massimo Rotundo (na da direita), que terão duas dezenas de pranchas (algumas delas inéditas)  expostas no Museu do Vinho Bairrada, com os trabalhos que realizaram para a série Tex Willer, o mais famoso cowboy dos quadradinhos (ou fumetti) transalpinos, publicado há quase 70 anos pela Sergio Bonelli Editore.
maurizio-dotti-e-massimo-rotundo
Entre as presenças já confirmadas, contam-se ainda outras ilustres personalidades do mundo texiano: Dorival Vítor Lopes, director da Mythos, a editora brasileira que publica vários títulos dedicados a Tex Willer e os distribui também em Portugal; Júlio Schneider, tradutor e articulista insigne da mesma editora; e os veteranos tradutores Paulo Guanaes e Tizziana Giorgini, há muito ligados também à aventura editorial de Tex em terras brasileiras; além de Fernanda Martins, tradutora de Tex na Holanda.

Mas há mais novidades (no mínimo sensa- cionais, frisamos nós), porque uma editora portuguesa, a Polvo, dirigida por Rui Brito, vai lançar durante a Mostra um novo Tex Gigante, com a história Tempestade Sobre Galveston, uma longa aventura do destemido Ranger do Texas (228 páginas), com argumento de Pasquale Ruju, desenhos de Massimo Rotundo e tradução portuguesa de José Carlos Francisco, presidente do Clube Tex Portugal (que já o ano passado assinou a tradução de Patagónia, o primeiro álbum gigante de Tex lançado pela Polvo).

Além disso, esta nova edição portuguesa tem uma capa original e exclusiva de Massimo Rotundo, que brindará também todos os texianos presentes no convívio de Anadia com os seus autógrafos. A apresentação da obra, enriquecida com textos e ilustrações inéditas, terá lugar no acolhedor auditório do Museu do Vinho Bairrada (sábado, 23 de Abril, às 16h00), com participação de Massimo Rotundo, Rui Brito, Mário João Marques e João Miguel Lameiras.tex-tempestade-em-galveston

Os sócios do Clube Tex Portugal (com quotas pagas) poderão usufruir de mais uma regalia, adquirindo in loco esta magnífica edição por preço mais reduzido, à semelhança do ano passado, ou seja, 15 euros (1,99 euros de desconto sobre o preço em livraria). E com direito a autógrafo de Massimo Rotundo. Uma oportunidade a não perder!

Tex a cavalo (3ª-Mostra de Anadia)Mas haverá também no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, uma exposição de verda- deiros itens de coleccionador, tais como livros temáticos, revistas de diversos países onde Tex é (ou já foi) publicado, estatuetas, selos, pins, puzzles, filmes, desenhos animados, postais, porta-chaves e muitas outras curiosidades — como, por exemplo, um maço de cigarros “pirata” de Tex ou o seu próprio diário —, para dar ainda mais brilho, animação e interesse a esta 3ª Mostra do Clube Tex Portugal, cujo êxito se pode antecipadamente medir pela ampla divulgação que tem tido em sites, blogues e jornais portugueses e até em sites interna- cionais, como já informou o Tex Willer Blog .

Quem puder ir ao convívio de Anadia, nos próximos dias 23 e 24 de Abril, ficará certamente com uma inolvidável recordação de mais um grandioso evento organizado pelo Clube Tex Portugal, cujas iniciativas não param, estando já previsto para breve o lançamento de mais um número da sua excelente revista.
cartaz-de-massimo-rotundo

Nota: Caro leitor, para ser sócio do Clube Tex Portugal, com direito a receber gratuitamente a sua revista semestral (de que já saíram três números), basta inscrever-se mediante o pagamento de uma jóia de 5,00 €. A quota mensal é de 2,00 € (2,50 € se não for residente no nosso país). Contactar José Carlos Francisco em http://texwillerblog.com/wordpress

POSTAIS ILUSTRADOS – 12

ALBERTO DE SOUSA E O PORTUGAL DESAPARECIDO (1)

Postais Ilustrados Alberto de Sousa 1 e 2

Na série de postais que têm preenchido esta rubrica, voltamos hoje a uma temática muito popular: os trajos típicos regionais. Depois de alguns exemplos peculiares, da lavra de artistas bem conhecidos, como Vítor Péon e Alfredo de Morais, fomos buscar uma colecção assinada por outro mestre das artes gráficas e plásticas portuguesas, cujo renome também ultrapassou os umbrais do seu tempo, inscrevendo-se a “letras de ouro” na história da pintura e da ilustração do século XX: Alberto Augusto de Sousa (1880-1961).

Mestre incontestado de um estilo pictórico com raízes profundas no classicismo da forma e na apurada estética da cor, sem a aura romântica dos seus antecessores, foi discípulo de outro conceituado artista, Alfredo Roque Gameiro, com quem aprendeu os rudimentos da técnica de pintura — e teve uma carreira de grande longevidade, assinalada por um notável percurso como ilustrador e autor de obras que fizeram história, nomeadamente a que tem por título O Trajo Popular em Portugal nos Séculos XVI a XIX, em dois volumes, ainda hoje muito apreciada por estudiosos, artistas e coleccionadores… e de grande raridade.

Postais Ilustrados Alberto de Sousa 3 e 4

Nesta série de trajos típicos, reproduzidos em postais sem data de publicação, nem indicação de editor, destacam-se a diversidade e o colorido das figuras populares que compõem uma realista panóplia de “retratos de época”, com os seus vistosos e garridos adornos em que se perpetuam usos, costumes e indumentárias que a implacável marcha do progresso fez desaparecer de muitas regiões de Portugal ou transformou numa esmaecida cópia do seu antigo e pitoresco esplendor.

Aqui têm, ilustrando esta breve introdução, os seis primeiros postais da nossa série de doze (provavelmente ainda incompleta), assinados pelo mestre Alberto de Sousa, com trajes do Alentejo, Avintes, Barcelos, Beira Alta e Ovar (os dois últimos).

Postais Ilustrados Alberto de Sousa 5 e 6

DIA 16: ASSEMBLEIA GERAL DO CPBD

2675

No próximo sábado, dia 16 de Abril, pelas 15h30, na sede do Clube Português de Banda Desenhada (CPBD), sita na Avenida do Brasil 52A, Reboleira (Amadora), haverá nova reunião da sua Assembleia Geral, para tomar várias deliberações urgentes no âmbito dos processos de obtenção de apoio em curso (ratificação das contas de 2013 e 2014, orçamento e plano de actividades de 2016).

Serão ainda votadas as contas de 2015 e prestada informação aos associados sobre a recente actividade do Clube, projectos futuros e outras questões de interesse geral. Está  também prevista a distribuição aos sócios do nº 142 (Abril 2016) do Boletim do CPBD, dedicado a duas exposições marcantes inauguradas na sua sede, em Janeiro último: Os 80 anos d’O Mosquito e Tributo a Eduardo Teixeira Coelho.

Boletim 142

INVASÃO DE SUPER-HERÓIS À PORTUGUESA NO “CORREIO DA MANHÔ

Super Heróis Portuguese - Anúncio 1 209Super Heróis Portuguese - Anúncio 2 212Super Heróis Portuguese - Anúncio 3 210

Depois de longa ausência, a banda desenhada humorística regressa aos jornais, com uma nova colecção apresentada pelo Correio da Manhã: “Super-Heróis da História de Portugal”, irresistível e premiada criação de dois veteranos da BD portuguesa, dois mestres do género, Artur Correia e António Gomes de Almeida, que nos mostram o lado mais divertido de uma História velha de séculos.

Todas as semanas, às 6ªs, sábados e domingos, até 7 de Maio, 14 fascículos grátis, com 32 páginas, recheados de impagáveis personagens. Uma colecção que este blogue obviamente recomenda!