FERNANDO BENTO E O CAVALEIRO ANDANTE – 2

OS LUSÍADAS ILUSTRADOS POR FERNANDO BENTO – 1

Fernando Bento e os Lusíadas 1  592Quando em 1954, nos territórios de Goa, Damão e Diu, ainda denominados províncias ultramarinas portuguesas, começaram a surgir graves problemas com a União Indiana e um sentimento nacionalista irrompeu em todo o país — fomentado pela retórica do “patriarca” do regime, António de Oliveira Salazar —, o Cavaleiro Andante, associando-se a essa onda patriótica, publicou no nº 135, de 31/7/1954, uma separata de quatro páginas com versos d’Os Lusíadas e ilustrações de Fernando Bento. Na capa e na contracapa, simbolicamente, imagens do Mosteiro dos Jerónimos, monumento erigido em memória do maior feito da nossa gesta universal — a descoberta do caminho marítimo para a Índia —, realizado por Vasco da Gama e por um punhado de marinheiros, tripulando uma pequena frota que saiu do Restelo em 8 de Julho de 1497.

Era assim que, nos tempos conturbados que prenunciavam o fim do regime colonial,         alguns organismos, com o apoio das revistas infanto-juvenis, faziam a apologia (pela “voz” de Camões) dos ideais supremos do Salazarismo, consubstanciados no amor à Pátria una     e indivisível, na herança do passado e no grande império colonial português.

Mas refira-se, em abono da verdade, que o Cavaleiro Andante, sem aparentes intuitos doutrinários, já tinha apresentado, entre os nºs 61 e 80, outras ilustrações de Fernando Bento inspiradas n’Os Lusíadas, cujo primor estético e figurativo merece ser realçado.

Fernando Bento e os Lusíadas 2 B   594

Advertisements

6 thoughts on “FERNANDO BENTO E O CAVALEIRO ANDANTE – 2

  1. Colocando de parte a questão ideológica óbvia, temos que dar relevo e enaltecer ( eu sou suspeito porque acho admiravel os seus desenhos) o trabalho de Fernando Bento. Ainda á pouco tempo em conversa com uma acriz da nossa praça, ela me falava do trabalho que Fernando Bento fez para o Teatro. Um autêntico artista. Abraço Paulo Pereira

  2. Caro Paulo,
    Obrigado por mais um comentário a propósito do Cavaleiro Andante e das suas inúmeras curiosidades. Conheci muito bem Fernando Bento e não creio que ele fosse um conservador, ideologicamente conotado com o fascismo ou com a direita mais retrógrada. Antes pelo contrário… Mas nos anos 50 até as revistas infanto-juvenis seguiam as orientações do regime e por isso não admira que algumas tenham publicado separatas com fotos de Salazar e de outros governantes e que panfletos como o que reproduzimos neste “post” (em defesa de uma Índia prestes a deixar de ser “nossa”) tenham tido a colaboração de artistas como Fernando Bento.
    Aliás, as suas ilustrações de passagens d’Os Lusíadas são magistrais e iremos divulgar em breve outras que foram publicadas no Cavaleiro Andante.
    Um abraço do
    Jorge Magalhães

  3. Caro Jorge Magalhães temos sempre que “ver” estas questões à luz da história, não vivi esses tempos por isso nunca criticaria o trabalho de um grande artista como o Fernando Bento, gosto é sim de apreciar o seu trabalho que é fabuloso. Pena é nunca ter sido reconhecido como devia. O seu trabalho no Beau Gest é algo de admirável a todos os níveis. E mesmo que fosse conservador e ideologicamente ligado ao regime, não deveremos confundir a obra com o criador. Ainda à pouco tempo vi na loja das colecções uma prancha original do Fernando Bento, e o desenho é mesmo muito bem. Abraço Paulo Pereira

  4. O seu comentário é muito pertinente. O que temos de valorizar é a obra e a mão que a executa, em primeiro lugar, depois o homem que está por detrás dela, com as suas qualidades e defeitos. Quanto a Fernando Bento, garanto-lhe que ele nunca esteve ligado ao regime salazarista, embora tivesse trabalhado para revistas dirigidas por Adolfo Simões Müller, ideologicamente mais próximo desse regime. Aliás, era difícil a qualquer publicação infanto-juvenil dessa época ficar imune às orientações e à propaganda do governo. Nenhuma, nem mesmo o Mosquito, conseguiu escapar ao “vírus” do fascismo, mas estas questões, como bem frisou, têm de ser vistas à luz da História.
    Fernando Bento foi, efectivamente, um artista fabuloso. E comparar o seu trabalho nas páginas impressas dos jornais e das revistas com os originais das suas histórias, geralmente de grande tamanho, é um exercício surpreendente, que dá uma medida muito mais real dos seus extraordinários dotes artísticos, que ele próprio, com a sua modéstia, não valorizava devidamente..
    Um abraço do
    Jorge Magalhães

  5. Este comentário do amigo Jorge Magalhães fez-me recordar uma situação que aconteceu comigo e que traduz precisamente aquilo que o Jorge acabou de escrever.
    Quando, em 2010, os Salões de Moura (leia-se CM Moura), Viseu (leia-se Gicav) e Sobreda (leia-se Luiz Beira) resolveram partir para a produção de uma exposição comemorativa do Centenário de Fernando Bento tive a oportunidade de ir com o Beira a casa da Srª. Arlete Bento – viúva do artista – e de observar alguns dos originais de Fernando Bento.
    E posso garantir-vos que fiquei absolutamente maravilhado e surpreendido com o que vi (não só com os desenhos avulso e pranchas que a Srª. Arlete foi buscar a uma arca de madeira, como também ao muito material que estava exposto em quadros, na sala de estar – magníficas ilustrações, quadros a óleo e desenhos a tinta da China…). Ao mesmo tempo, contudo, fiquei bastante decepcionado por, durante tantos anos, o trabalho de Bento ter sido tão mal tratado na hora de publicar a sua obra… ao ponto de – posso dizê-lo – só nessa altura eu estar, verdadeiramente, a “conhecer” a obra deste autor. Era uma diferença do dia para a noite!
    As pranchas que Bento desenhou são absolutamente magníficas e merecem todos os elogios, em especial por ser um autor cujo traço é único. Que eu me lembre, não estou a ver outro autor com um traço parecido sequer ao de Bento.
    Mas, devo dizer, o que mais me agrada na multifacetada obra de Bento é, sem dúvida, a parte da ilustração (ainda que Bento seja mais conhecido pela sua obra no campo da banda desenhada e ainda, também, que ele tenha dito numa entrevista que se considerava um… caricaturista).
    Saudações bedéfilas,
    Carlos Rico

  6. Caro Amigo Carlos Rico,
    Penso que todos estamos de acordo em que o traço de Fernando Bento é único e em lamentar os maus tratos que as suas obras sofreram às mãos dos paginadores, retocadores e impressores, nos tempos “heróicos” da BD portuguesa… em que muitos outros exemplos de maus tratos estão patentes, mesmo em revistas emblemáticas como o Cavaleiro Andante, o Mosquito e o Mundo de Aventuras.
    Percorrer numa exposição os painéis com originais de vários artistas, comparando-os com as páginas impressas (quando estão também expostas) é, quase sempre, uma espantosa jornada de descoberta… e, ao mesmo tempo, de profunda desilusão, quase nos inspirando um sentimento de culpabilidade, como se fossemos também responsáveis, na qualidade de leitores/consumidores, por esses “crimes” de lesa-arte. Mas temos de aceitar que a BD foi (ainda é) uma arte “industrial”, destinada, desde o seu advento, a ser publicada em jornais e revistas, ou seja, em mau papel… e que só muito mais tarde chegou às páginas luxuosas dos álbuns cartonados, impressos com rara sofisticação (e os exemplos actualmente abundam) em papel “couché” de 120 e 150 gramas. Infelizmente, ao autonomizar-se dos jornais e das revistas, dirigindo-se a um público mais adulto e exigente, mas menos fiel, a BD perdeu não só a sua inocência original, mas também inúmeros leitores.
    Julgo que artistas como Fernando Bento preferiam ser populares e ter um vasto público juvenil — pois sentiam verdadeiro prazer em contar histórias aos quadradinhos —, e que, depois da obra feita, pouco se importavam com a forma como ela era impressa. Quanto a Bento, teve a preocupação, honra lhe seja feita, de guardar os originais.
    Abraços do
    Jorge Magalhães

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s