F. BENTO & J. VERNE – UMA DUPLA PERFEITA

Mais duas capas do Diabrete, publicadas em 1947 e 1948, com o traço magnífico de Fernando Bento, já na plenitude dos seus dotes gráficos. Ao adaptar para BD dois famosos romances de Júlio Verne, “A Ilha Misteriosa” e “Matias Sandorf”, o versátil artista erigiu mais um marco na sua obra incomparável.

Até os cabeçalhos do Diabrete espelham a criatividade e a fantasia de um dos maiores desenhadores da “época de ouro” da BD portuguesa.

Aditamento: a pedido de alguns leitores e amigos, apresentamos também as primeiras páginas destas duas memoráveis versões, publicadas respectivamente nos nºs 417 e 512 do “grande camaradão”, que nessa época tinha periodicidade bissemanal como O Mosquito.

Diabrete 416 A ilha misteriosa 943     Diabrete 511 Matias Sandorf 944

Ilha misteriosa  diabrete971     Matias Sandor  diabrete972

Advertisements

7 thoughts on “F. BENTO & J. VERNE – UMA DUPLA PERFEITA

  1. Caro gato alfarrabista, quero dar-lhe os parabéns pelos seus excelentes posts, com imagens de qualidade excepcional, e também perguntar-lhe onde fica a sua “Loja de Papel”. A não ser que seja uma loja imaginária, o que também não deixaria de ser bonito… 🙂
    Com os melhores cumprimentos deste leitor,
    Nuno

  2. Caro Nuno,
    Nestes tempos de crise seria arriscado abrir uma loja, qualquer que fosse a sua especialidade, num mercado tradicional… por isso, como não temos intenções de lucro, optámos pelo virtual, que oferece recursos quase ilimitados à imaginação.
    Muito obrigado pelo seu comentário, com o desejo de que continue a acompanhar-nos.
    Um forte abraço.

  3. Obrigado pelos seus artigos. São a história cultural deste país. Um país sem industria cultural não existe. Queria só fazer-lhe uma pergunta, por pena minha não foi possivel conservar na familia o Mosquito e o Cavaleiro Andante. Ainda se consegue encontrar por “aí” estas colecções completas? Cumprimentos e boas continuações.

  4. Infelizmente, caro Paulo, a tradição cultural nem sempre está no centro das preocupações de quem tem responsabilidades ao mais alto nível, e a banda desenhada ainda hoje é considerada, por certos sectores, um “divertimento” menor, não uma forma de arte e de desenvolvimento intelectual e cultural. Com a Internet e a vasta abertura que ela veio proporcionar a quem se interessa por estes assuntos, a situação tenderá, em certa medida, a melhorar no futuro.

    Quanto a publicações tão antigas como “O Mosquito” e o “Cavaleiro Andante”, hoje em dia só se conseguem encontrar, com alguma sorte, em alfarrabistas especializados. Em Lisboa já há poucos, por isso julgo que os mais aconselháveis são os do Porto, embora eu não os frequente há muito tempo. Por outro lado, colecções como as dessas duas revistas dificilmente se arranjam em bloco, isto é, completas. Também pode experimentar pôr um anúncio na Net ou num jornal. A mim deu-me resultado, há muitos anos, e foi assim que consegui arranjar uma colecção completa do “Cavaleiro Andante” e dos seus números especiais, através de um anúncio no “Diário de Notícias”. Mas eram outros tempos… em que não se pediam ainda “fortunas” por revistas que muitos tinham lido e guardado no sótão, sem lhe atribuírem valor especial..

    Um grande abraço e obrigado pelo seu interesse, com o desejo de que continue a acompanhar o nosso blogue.

    • Muito obrigado pelas suas informações. Se alguem tem duvida que a BD é uma industria cultural, basta observar com atenção os numeros das edições em França de BD, no ano passado. Já para não falar o número de editoras existentes. Abraço, e claro que estarei atento aos seus artigos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s